Ensino híbrido como catalisador do processo de personalização do ensino

Home / Ensino híbrido como catalisador do processo de personalização do ensino
Back to News

Ensino híbrido como catalisador do processo de personalização do ensino
Também conhecido como blended learning, o Ensino Híbrido se caracteriza por mesclar dois modelos de ensino: o
 presencial e o on-line. No primeiro temos o ensino em sala de aula e, no segundo, um ensino que utiliza as tecnologias digitais.

 

O tema Personalização do Ensino vem ganhando força nos últimos anos uma vez que é cada vez mais claro que crianças aprendem de maneiras e ritmos distintos. Enquanto que décadas atrás desenvolver um processo individualizado de ensino era um desafio, com o amadurecimento da adoção de tecnologias em sala de aula esse processo não só se tornou viável como necessário. 

 

Neste contexto notamos que instituições de ensino, em todo o mundo, passam a estimular seu corpo docente para que adotem metodologias inovadoras, como o Ensino Híbrido. O objetivo principal desse novo modelo de educação foi garantir que tanto professores quanto estudantes pudessem ensinar e aprender em lugares distintos, levando o ensino para além da sala de aula.

 

O Ensino Híbrido é considerado uma Metodologia Ativa, abordagem que promove a inserção do aluno no processo de ensino aprendizagem, ou seja, o estudante deixa de assumir uma postura de passividade e passa a ser ativo na construção do saber por meio de estímulos diversos.

 

Nesse sentido, a ideia principal é de que os dois modelos (presencial e on-line) se complementam para oferecer diferentes maneiras de aprender e de ensinar um conteúdo. Dentre os benefícios pedagógicos resultantes da adoção deste método estão o despertar do interesse e atenção dos alunos e a possibilidade do acompanhamento de cada aluno individualmente.

 

Uma pesquisa da National Training Laboratories aponta que em uma aula expositiva o aluno assimila apenas 5% do que foi apresentado. Quando o estímulo se dá apenas por leitura de textos esse índice é de 10%. Por outro lado com as Metodologias Ativas, como estudo citado acima, o aluno consegue reter 50% das informações.

Por outro lado com as Metodologias Ativas, como estudo citado acima, o aluno consegue reter 50% das informações.

National Training Laboratories


O desafio de adequar novas metodologias é uma realidade que professores lidam diariamente, tanto no planejamento quanto dentro de sala de sala. Compor uma dinâmica que trabalhe com estações, um dos métodos do Ensino Híbrido, exige preparação não somente por parte do professor, mas da organização e conscientização dos próprios alunos.


Rotação por Estação: esse modelo permite que os estudantes rotacionem através das estações em um horário fixo, no qual pelo menos uma das estações é uma estação de aprendizagem online.

Laboratório Rotacional: assim como a Rotação por Estação, o Laboratório Rotacional permite que os estudantes rotacionem através das estações em um horário fixo. No entanto, neste caso, a aprendizagem on-line ocorre em um laboratório de informática.

. Rotação Individual: permite que os alunos rotacionem através das estações, mas em horários individuais definidos por um professor ou algoritmo de software. Ao contrário dos outros modelos de rotação, os estudantes não necessariamente rotacionam para cada estação; eles rotacionam apenas para as atividades programadas em suas listas de reprodução.

. Sala de Aula Invertida: esse modelo inverte a relação tradicional entre o tempo de aula e dever de casa. Os estudantes aprendem em casa através de cursos e aulas on-line, e os professores usam o tempo de aula para práticas ou projetos orientados pelo professor. Este modelo permite que os professores usem o tempo de aula para mais do que dar aulas tradicionais.

Fonte: Ensino Híbrido (CHRISTENSEN, 2018)

Karla Ferreira, Thaís Bonfim Santos Vasques e Fabiana Souza Fernandes – Especialistas em Ensino Híbrido – Foreducation EdTech