8 pontos chave para projetar hoje as escolas de amanhã, hoje!

Home / 8 pontos chave para projetar hoje as escolas de amanhã, hoje!
Back to News

8 pontos chave para projetar hoje as escolas de amanhã, hoje!

A Foreducation EdTech licencia conteúdo oficial do EdSurge, principal fonte de conteúdo sobre Educação Tecnológica. Compartilha, neste espaço, as últimas notícias e tendências da indústria de Educação Tecnológica. Mensalmente, estudos sobre os desafios na adoção de tecnologia em sala de aula também serão disponibilizados – em português, para download gratuito.

 Nos últimos 20 anos, trabalhamos como professores, administradores e orientadores em escolas por todo o país. E temos, também, viajado e nos reunido com milhares de diretores, coordenadores, professores e alunos, ouvindo suas experiências, boas e más. Elas intensificaram nosso desejo de preparar essa geração de alunos para que possam tornar-se cidadãos bem-sucedidos em uma sociedade global, mudando para uma abordagem mais pessoal, e mais distante do modelo de educação da era industrial.

 Esse não é um sonho idealista e utópico. Com base em tudo o que conhecemos sobre como os alunos aprendem, as previsões para o mundo que enfrentarão após a formatura e as grandes disparidades de oportunidades e privilégios que existem há séculos, acreditamos que continuar a usar um estilo tradicional de ensino e aprendizagem, igual para todos,  equivale à negligência educacional.

 Nosso novo livro, Learning Transformed, publicado pela ASCD, descreve oito razões para intencionalmente projetar  as escolas do futuro para preparar os alunos de hoje para o sucesso, muito além da obtenção de um diploma do ensino médio. Queremos garantir que nossos alunos estejam prontos para criar novas indústrias, encontrar novas curas para doenças e resolver os problemas do mundo de amanhã. Cada um dos nossos pontos chave são baseados em pesquisas e é parte do lançamento de um novo desenho para o nosso sistema de Educação Básica no que se refere ao ensino e aprendizagem. Aqui é onde começamos:

#1: Liderança e cultura escolar estabelecem as bases

Os esforços de aprimoramento escolar dependem fortemente de liderança colaborativa de alta qualidade. Os líderes educacionais são encarregados de estabelecer uma visão coletiva para melhorar a escola e iniciar mudanças para estimular a inovação, garantir a aprendizagem dos alunos e aumentar os índices de resultados satisfatórios.. Em um mundo em que a mudança continua a acelerar exponencialmente, a cultura escolar precisa evoluir mais rápido do que no passado, se quisermos preparar os alunos de hoje para o sucesso futuro. A ênfase global é, e deve ser, sobre fazer a diferença na vida das crianças. Liderar e ensinar é um trabalho desafiador que requer um alto nível de compreensão e paciência para transformar a cultura de aprendizagem de uma escola em outra, valorizada por alunos, educadores e todos os demais envolvidos no processo. As inovadoras práticas de liderança orientadas para o relacionamento são fundamentais para a criação de uma cultura de aprendizagem que preparará os alunos para o seu futuro – não para o nosso passado.

 

#2: A experiência de aprendizagem deve ser redesenhada e personalizada
Todos nós já passamos por aquele momento em que estudamos muito para uma prova, obtivemos uma boa nota e semanas depois já tínhamos esquecido as informações . Estudos de neurociência indicam que apenas lotar o cérebro dos alunos com informações , em última análise, desperdiça tempo e recursos. Pior, comandar os alunos sobre o que aprender, quando aprender e como deve ser aprendido os deixa desestimulados. Muito raramente os alunos têm a oportunidade de seguir suas paixões, explorar seus interesses e se engajar em oportunidades relevantes que transcendam o espaço da sala de aula tradicional. Ampliando essa ideia, a autonomia discente deve se tornar a norma, não a exceção. Devemos encontrar formas de buscar uma pedagogia centrada em competências de alto valor e na resolução de problemas para que, a qualquer momento e em qualquer lugar, a aprendizagem possa se tornar uma possibilidade real para a “geração Netflix  de alunos” de hoje.

 

#3: As decisões devem ser fundamentadas em evidências e conduzidas pelos resultados dos processos de ensino/aprendizagem

A evolução da estrutura educacional dos EUA criou uma geração de estudantes que está hiper focada em notas, não na aprendizagem. Os alunos precisam de oportunidades concretas para desenvolver um trabalho que faça a diferença. A tecnologia fornece aos educadores os meios para permitir que os alunos demonstrem domínio conceitual e desenvolvam propriedades nunca antes imaginadas. Alterar o caminho e os meios pelos quais avaliamos a aprendizagem dos alunos é um passo na direção certa. Mas devemos fazer um esforço mais concentrado para fornecer evidências de que a tecnologia está realmente influenciando o sucesso da aprendizagem. Isso significa que a cultura escolar deve começar a se concentrar nos resultados da instrução ministrada. Se vamos gastar bilhões de dólares por ano infundindo tecnologia, devemos estar preparados para compartilhar provas de um ROI ** que demonstre melhores resultados de aprendizagem dos alunos.

**nota do tradutor: ROI ´” Return on Instruction”

 

#4: os espaços de aprendizagem devem tornar-se centrados no aluno
Uma mudança na pedagogia exige uma mudança no design do espaço de aprendizagem – e isso significa muito mais do que implantar uma idéia da mais recente sugestão do Pinterest. Em vez de um modelo da revolução industrial, onde as filas ordenadas de carteiras exigem que todos os alunos concentrem sua atenção no professor, a escola e as salas de aula precisam de espaços centrados no aluno, de natureza mais pessoal e relacionados a pesquisas sobre como o espaço afeta a aprendizagem. Os educadores que desejam construir procedimentos de colaboração e envolver os alunos na busca de resolução de problemas e em níveis mais elaborados de raciocínio perdem a oportunidade de liberar a  genialidade dos alunos, empacotando-os em salas de aula tradicionais. Os espaços de aprendizagem precisam ser flexíveis, proporcionar áreas de movimento e promover a colaboração e o questionamento. Esses tipos de espaços modernos se assemelham mais ao Starbucks local  do que ao cemitério nas proximidades.

#5: a formação de professores deve ser relevante, envolvente, contínua e personalizada
Durante décadas, discutimos como tornar mais relevantes as experiências de aprendizagem profissional dos professores. Compare a filosofia de formação de professores dos diferentes distritos escolares e você verá uma enorme semelhança em relação a quem controla e determina a aprendizagem. Vários estudos indicam que, para a formação de professores, a abordagem de modelo único, imposta de cima para baixo, baseada em carga horária,  mostra um impacto pequeno , ou nenhum,  na a formação  dos alunos. No entanto, muitos distritos continuam por esse caminho. Acreditamos que relacionar o tempo de desenvolvimento da formação de professores à prestação de contas está colaborando com a diminuição da taxa de negligência.. A aprendizagem  profissional que ocorre , hoje, em muitos distritos deve sofrer uma reforma radical, já que o modelo tradicional está desatualizado e ineficaz. Para mudar a pedagogia instrucional é necessário que haja uma abordagem pessoal para a aprendizagem profissional, onde o percentual de crescimento seja avaliado em maior escala  do que a carga  horária cursada. Esse é o ponto central.

 

#6: a tecnologia deve ser alavancada e usada como um acelerador para a aprendizagem do aluno
Grande parte do dinheiro gasto em tecnologia, hoje, tem pouco impacto sobre a aprendizagem dos alunos. Em muitas salas de aula, a tecnologia é usada simplesmente para digitalizar práticas desatualizadas. Muitas das salas de aula de hoje têm ferramentas incríveis do século XXI que são usadas em ambientes de aprendizagem do século XX. A pesquisa também indica que uma das formas mais comuns de integração – a tabuada digital com repetições constantes – não tem efeito algum em matéria de conquistas. Mesmo com orçamentos estagnados, os distritos escolares continuam a comprar mais tecnologia educacional do que nunca, muitas vezes com pouco para mostrar. No entanto, quando efetivamente usada, a tecnologia pode ampliar em muito a pedagogia instrucional  adaptar-se às necessidades individuais do aluno e ajudar a tornar a aprendizagem uma experiência mais pessoal, envolvente e rigorosa. Intencionalmente projetadas, essas escolas também mantêm o  foco no acesso e oportunidade para todos os alunos.

 

#7: a colaboração e o envolvimento da comunidade devem ser construídos no contexto da cultura de uma escola
Sabemos que os pais são fundamentais no sucesso escolar das crianças. No entanto, caminhe pelas escolas e você vai testemunhar uma ampla gama de envolvimento dos pais. Algumas escolas trabalham para criar um ambiente acolhedor onde a comunidade é vista como um imenso patrimônio. Nessas escolas, você verá os pais trabalhando lado a lado com os alunos, rindo durante o almoço em grupo, trabalhando em salas de aula e colaborando com funcionários de diversas formas. Em contrapartida, outras escolas criam culturas em que os pais dificilmente se sentem bem-vindos. Com exceção de alguns eventos anualmente planejados, os pais nessas escolas geralmente se sentem bloqueados,.  Empresas e  universidades podem estar localizadas dentro da vizinhança , mas a grande maioria delas tem pouco ou nenhum contato com as escolas. Da colaboração diária a comunicações consistentes e relevantes para apoiar o acesso domiciliar para estudantes com necessidades especiais, as escolas projetadas intencionalmente são parceiras colaborativas e o centro da comunidade local.

 

# 8: as escolas que transformam a aprendizagem são construídas para durar, uma vez que a sustentabilidade financeira, política e pedagógica assegura o sucesso a longo prazo
Um impasse orçamentário. Um ataque político. Uma mudança na pedagogia instrucional. Como o sucesso da sua instituição resistirá  ao tempo? Será que uma mudança na política do conselho escolar anulará o progresso recente? O crescimento no desempenho acadêmico continuará à medida que sua equipe docente muda? Com o mandato médio do superintendente do distrito, que dura apenas alguns anos, e a aposentadoria pendente de uma geração de líderes escolares experientes, precisamos construir escolas sustentáveis a longo prazo e superar a turbulência negativa que pode prejudicar as futuras gerações. A sua escola está construída para durar?

Não podemos mais esperar. Devemos preparar nossos alunos para o seu futuro, não para o nosso passado. Devemos criar e liderar as escolas que são relevantes para o mundo em que os nossos estudantes vivem – e não o mundo em que nossa equipe cresceu. Devemos fazer isso… começando hoje.

Eric Sheninger (@e_sheninger) serve como um companheiro sênior no Centro Internacional de Liderança em Educação. Conecte-se com ele em ericsheninger.com. Thomas C. Murray (@thomascmurray) atua como Diretor de Inovação para Future Ready Schools, um projeto da Alliance for Excellent Education, localizado em Washington, DC. Conecte-se com ele em thomascmurray.com.